Vendas de caminhões crescem 38% no ano
Compartilhe:

Mercado interno sustenta a produção em alta de 12%

Balanço do desempenho do setor automotivo apresentado pela Anfavea, associação que representa os fabricantes de veículos no País, na última quarta-feira, 6, retrata mais uma vez a trajetória de recuperação do mercado de caminhões.

As vendas em outubro fecharam com pouco mais de 9,4 mil unidades, volume 19,3% superior ao anotado no mesmo mês do ano passado, quando os licenciamentos somaram 7,9 mil caminhões.

No acumulado do ano até outubro, as entregas alcançaram 83,6 mil unidades, alta de 37,9% em comparação ao resultado obtido há um ano, de 60,7 mil emplacamentos.

“O setor de caminhões mostra um crescimento robusto, que cria boas expectativas para o futuro”, avalia Marco Antonio Saltini, vice-presidente da Anfavea para o segmento de pesados. “O desempenho até aqui confirma nossa projeção para 2019 de uma evolução de 35% e indica claramente a mudança de patamar ocorrida nos últimos dois anos, em ambiente de negócios que ainda não é como gostaríamos, mas melhorando pouco a pouco.”

Com crise na argentina, o maior comprador de veículos do Brasil, as exportações ainda se mostram como preocupantes para as montadoras. Embora o embarque de 1,5 mil caminhões em outubro tenha promovido alta de 52% em relação ao volume de setembro, de 984 unidades, os resultados nas comparações anuais seguem negativos, com quedas de 13,4% sobre outubro de 2018 (1,7 mil unidades) e de 48,9% no acumulado do ano, de 22,1 mil veículos embarcados no ano passado contra 11,3 mil nos dez primeiros meses de 2019.

Pelo relatório consolidado pela Anfavea, o mercado interno é o principal responsável por manter aquecido o chão das fábricas. Em outubro, as montadoras produziram quase 11,3 mil caminhões, crescimento de 3,9% sobre o volume produzido no mesmo mês de 2018, de 10,8 mil unidades. De janeiro a outubro, os 98,7 mil caminhões produzidos representaram alta de 12,1% sobre a produção de um ano atrás, de 88,1 mil unidades.


voltar