+55 (11) 2632-1000
Escolha uma Página
Autotrac – A conexão que temos com nossos clientes é o que nos move nesta constante busca por inovação
Data – hora / Fonte

A AUTOTRAC que completou 25 anos de operação em 2018, sempre manteve estreita a ligação com o transporte rodoviário de carga. A empresa que é pioneira em tecnologias de rastreamento, deu início a sua história em 1993, quando Nelson Piquet, tricampeão mundial de Fórmula 1, fundador e presidente da companhia, trouxe para o Brasil uma nova tecnologia, e desde então, não parou de inovar e de apresentar novas soluções para o transporte rodoviário, urbano, ferroviário e aquaviário.

Adotando uma rígida disciplina financeira e investimentos contínuos em tecnologia, a AUTOTRAC manteve um ritmo continuo de crescimento em 2018 e está muito otimista com o futuro que se projeta para o nosso país.  “A empresa vem se preparando há alguns anos para continuar crescendo mesmo em anos difíceis, aproveitamos bastante este período de economia menos aquecida para investir no treinamento do time, lançamento de novos produtos, melhoria dos produtos já existentes e expansão da nossa rede de atendimento ao cliente que já conta com 43 unidades exclusivas no país. Acredito, assim como a AUTOTRAC, que a economia e a produção devem crescer, a oferta de crédito deve melhorar, o nível de emprego deve reagir, causando impactos positivos no consumo e consequentemente o mercado de transporte e a logística vão retomar o crescimento no Brasil. Por esse motivo, nos sentimos prontos para auxiliar nossos clientes nessa tarefa de crescimento nos negócios” ressalta Márcio Toscano, diretor de marketing, comercial e pós-vendas. 

Nos tempos atuais, há uma busca incessante por tecnologias inovadoras e pesquisas demonstram que as empresas utilizam, em média, menos de 45% da capacidade disponível dos sistemas já implantados. Com as tecnologias de rastreamento não é diferente: passados 25 anos desde o lançamento dos primeiros sistemas desse tipo de serviço no Brasil, ainda há enorme dificuldade em conseguir disseminar em todas as áreas da organização os benefícios proporcionados por esse serviço. Pensado nisso, em 2018, a AUTOTRAC lançou um programa de consultoria, com técnicos especializados na operacionalização dos serviços tecnológicos oferecidos pela empresa, para ajudar o transportador a usar ao máximo todos os recursos oferecidos, com o objetivo de melhorar os resultados financeiros da empresa. “Ter controle sobre as viagens significa mais eficiência e mais economia” comentou Toscano.

Um exemplo deste trabalho, é uma grande transportadora, que atua há mais de 30 anos no Transporte Rodoviário de Cargas, com forte atuação em produtos siderúrgicos e usuária da tecnologia Autotrac prime, obteve enormes resultados financeiros com a utilização da função de telemetria disponível no sistema para medir indicadores de performance.

No quesito custos, a empresa estabeleceu como primeira meta aumentar a média do consumo de combustível em uma viagem típica de 840km. A média histórica era de 2,08 km/l, gerando o consumo de 404 litros de diesel por viagem.

Com a implantação dos controles de telemetria, a empresa estabeleceu limites de velocidade e tempo máximo parado com motor ligado (após o período definido, o veículo era desligado automaticamente pelo sistema). Apenas com essas duas providencias simples, a empresa conseguiu alcançar a média de 2,50 km/l, ou seja, na mesma operação passou a gastar em média 336 litros de diesel, gerando uma economia de 68 litros/viagem (aproximadamente R$250,00/viagem).

Considerando que a empresa tem 500 veículos, que efetuam em média 3 viagens por mês, a economia mensal da frota será de R$375.000,00, ou, R$4,5 milhões por ano. E o melhor, o sistema estava nos veículos não havendo necessidade de nenhum investimento adicional.

Já com relação aos acidentes, a empresa inicialmente mediu as principais causas que contribuíam para cada sinistro e chegou a estatísticas surpreendentes: 46% dos acidentes eram causados por falhas de condução do motorista; 38% por fadiga ou outros distúrbios de percepção, 11% por imprevistos na rota e apenas 5% por falhas mecânicas. Ou seja, 84% dos acidentes eram causados por questões diretamente ligadas ao motorista.

Após essas medidas, a empresa implantou um programa de limites operacionais medidos eletronicamente pela telemetria (velocidade máxima, tempo máximo de direção continua, freadas bruscas, uso de freio, motor, excesso de RPM, etc) e por meio do rotograma falado também disponível no Sistema Prime, os motoristas passaram a receber mensagens automáticas de voz na cabine do caminhão em todas as áreas de maior risco da rota e em caso de violação dos limites estabelecidos.

Passados poucos meses da implantação do projeto, a transportadora teve acidente zero na operação em analise, aumentando o nível de serviço prestado, reduzindo custos e salvando vidas.

Esse simples case ilustra de forma objetiva o ganho direto proporcionado a empresa, sem necessidade de nenhum investimento adicional, pelo simples fato de melhor utilizar uma tecnologia já implantada na empresa. “Certamente em nossas empresas, há também espaço para inovarmos aproveitando melhor o investimento já realizado” concluiu Toscano.

 

Contato:
0800-70-12345
www.autotrac.com.br
autotrac@autotrac.com.br 

 

* Esse conteúdo faz parte da Revista SETCESP para a edição do Guia do TRC 2019.


voltar