Governo arrecada R$ 148,5 milhões em leilão de três áreas portuárias
Compartilhe:

Em leilão, realizado na manhã de terça-feira (13/8), na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), o governo arrecadou R$ 148,5 milhões em outorgas com o arrendamento de três áreas portuárias, duas em Santos (SP) e uma em Paranaguá (PR). Desse total, R$ 37,125 milhões serão pagos à vista, na assinatura do contrato, que deve ocorrer em até 120 dias. O restante será pago em cinco parcelas anuais. O investimento previsto em todas as áreas chega a aproximadamente R$ 420 milhões.

A Hidrovias do Brasil Holding Norte arrematou a área STS 20 no Porto de Santos por R$ 112,5 milhões. A previsão de investimentos é de R$ 219,3 milhões durante o prazo de concessão de 25 anos. Os 29.278 m² da área, destinada à movimentação de fertilizantes e sal, compreendem três armazéns e são interligados por esteiras ao cais com acessos prioritários aos berços 22 e 23.

A disputa pela área arrematada Hidrovias do Brasil, que ganhou o direito de exploração por 25 anos, foi apertada com diversos lances em viva voz. A proposta inicial da empresa foi de R$ 65 milhões. Em função da competição com ofertas da Aba Infraestrutura e do Consórcio TRH, que também deram lances, a companhia teve que aumentar o valor.  A última proposta do TRH foi de R$ 112 milhões. A Hidrovias do Brasil levou com um lance R$ 500 mil superior.

A Aba arrematou a área STS 13A, também no Porto de Santos, por R$ 35 milhões. Destinado à movimentação de granéis líquidos (produtos químicos, etanol e derivados de petróleo), o terminal terá investimentos previstos de R$ 110,7 milhões.

O terminal PAR 01, localizado no Porto de Paranaguá, foi arrematado pela Kablin por R$ 1 milhão. Destinado à movimentação de carga geral (celulose), e com uma área total de 27.530m², o terminal conta com previsão de R$ 87 milhões em investimentos.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, comemorou os resultados. “Esse foi mais um leilão bem sucedido e uma clara demonstração de confiança do mercado na política econômica e nos passos que estão sendo dados”, destacou.

O secretário nacional dos Portos, Diogo Piloni, ressaltou que os portos de Santos e Paranaguá são cruciais para a logística do país. “Provê-los com os novos investimentos previstos desse leilão é crucial”, avaliou.


voltar