Ministério pede R$ 5 bi para obras em estradas para atender pleito de Bolsonaro por reduzir ‘custo do caminhoneiro’
Compartilhe:

O Ministério da Infraestrutura está pedindo mais R$ 5 bilhões para iniciar um novo programa de recuperação de rodovias em todo o país. Fracionado em duas parcelas de R$ 2,5 bilhões, para 2021 e 2022, o recurso será usado em 30 mil quilômetros de malha viária no país.

Já em ritmo de reeleição, o presidente Jair Bolsonaro vem cobrando publicamente a liberação de verbas para a pasta, além de manter uma intensa agenda de viagens para inaugurações de obras.

Este novo programa foi encomendado pelo ministro Tarcísio de Freitas ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e já está pronto. A pasta aguarda a liberação dos recursos para começar as obras ainda neste semestre, o que seria possível pelos contratos já firmados pelo Dnit, que agilizariam o início das ações.

O secretário nacional de Transportes Terrestres do Ministério da Infraestrutura, Marcello Costa, disse ao GLOBO que a diferença desse programa em relação a outras ações desenvolvidas pela pasta está na amplitude da proposta, que tem abrangência nacional, e no aspecto técnico, porque combina uma camada de reforço pavimento e melhoria da sinalização viária.

Como a verba para investimentos e manutenção foi reduzida ao longo dos últimos anos, a pasta estava dando prioridade a ações em corredores logísticos e finalização de obras paradas. Esse programa cobriria outros gargalos:

— É uma grande camada de reforço do pavimento em quase toda nossa malha federal, que vai ampliar a atuação para pontos que não necessariamente são corredores logísticos, mas por onde passam principalmente veículos de passeio, o que também melhora segurança viária, reforça sinalização horizontal.

O montante total pedido pela Infraestrutura é de R$ 4,95 bilhões, sendo que R$ 4,5 bilhões seriam usados para o reforço de pavimento em cerca de 30 mil quilômetros de rodovias administradas pelo governo e os R$ 450 milhões restantes iriam para sinalização e dispositivos de segurança viária.

Como a verba para investimentos e manutenção foi reduzida ao longo dos últimos anos, a pasta estava dando prioridade a ações em corredores logísticos e finalização de obras paradas. Esse programa cobriria outros gargalos:

— É uma grande camada de reforço do pavimento em quase toda nossa malha federal, que vai ampliar a atuação para pontos que não necessariamente são corredores logísticos, mas por onde passam principalmente veículos de passeio, o que também melhora segurança viária, reforça sinalização horizontal.

O montante total pedido pela Infraestrutura é de R$ 4,95 bilhões, sendo que R$ 4,5 bilhões seriam usados para o reforço de pavimento em cerca de 30 mil quilômetros de rodovias administradas pelo governo e os R$ 450 milhões restantes iriam para sinalização e dispositivos de segurança viária.

Os caminhoneiros são categoria importante para a base de apoio de Bolsonaro. Este ano, o próprio ministério da Infraestrutura lançou o programa Gigantes do Asfalto, que também inclui ações de melhoria nas rodovias.

No mês passado, o GLOBO revelou que o Ministério da Infraestrutura havia pedido a liberação de R$ 2,4 bilhões este ano. O ministério afirmou na época que precisava” urgentemente” de R$ 1 bilhão, que já foi liberado.


voltar