Mercado financeiro aponta PIB a 0,87% em 2019, na 17ª revisão seguida
Compartilhe:

Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central continua a apontar viés de baixa para a economia neste ano; inflação deve encerrar o ano em 3,82%

Economistas consultados pelo Banco Central voltaram a revisar a previsão do Produto Interno Bruto (PIB) para 2019. De acordo com o Boletim Focus, divulgado na segunda-feira, 24, a previsão é que o crescimento da economia seja de 0,87% neste ano.

É a 17ª semana consecutiva que a projeção cai. Na semana passada, o indicador estava e 0,93%. As seguidas revisões para baixo no PIB começaram em fevereiro. Em janeiro deste ano, o mercado financeiro chegou a estimar o PIB em 2,57%.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país durante um período e serve para medir a evolução da economia. A previsão dada pelos economistas é menor que o PIB oficial do país em 2017 e 2018, quando a economia avançou 1,1%. Já em 2016, o PIB foi negativo em 3,6%.

Além da queda no PIB, a previsão para inflação também foi revista pelos economistas: de 3,84% para 3,82%, quarta revisão consecutiva para baixo. Caso feche o ano neste patamar, o indicador fica abaixo da meta de inflação estipulada pelo governo, de 4,25% e dentro da margem de tolerância prevista prevista pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), entre 2,75% e 5,75%, 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Nos outros indicadores, também houve estabilidade. Economistas estimam que a taxa Selic deve terminar o ano em 5,75%, valor que os 6,5% que estão vigentes atualmente e mantidos pelo Comitê de Política Monetária (Copom) na semana passada. Desde março do ano passado, a Selic está em 6,5%, menor patamar da história. Já a projeção para o dólar permanece estável. A expectativa é que a moeda americana feche o ano cotada a 3,80 reais.


voltar