25 anos pelo transporte
Compartilhe:
15/02/2019 – 17:40 / CNT

São duas décadas e meia na vanguarda de tudo o que é importante para a melhor atuação do trabalhador do transporte, para o apoio ao transportador e para o desenvolvimento do setor no Brasil. No livro “25 Anos pelo Transporte”, divulgado ontem (13/2), estão descritos os principais marcos do SEST SENAT desde a sua criação, em 1993. Também estão reunidos os trabalhos mais significativos da CNT durante esse período e os projetos de destaque do ITL.

Em 92 páginas, o leitor pode voltar no tempo e conhecer as ações e publicações que contribuíram e ainda contribuem para o fortalecimento do setor transportador brasileiro. O livro traz uma grande linha do tempo, com os marcos de cada ano, de 1994 a 2018. Nesse período, foram 129 milhões de atendimentos no SEST SENAT e mais de 280 estudos, pesquisas, análises e outros produtos da CNT sobre os diferentes modais e temas de interesse do setor.

A publicação expõe também imagens marcantes, como a do Campeonato de Futebol de Campo, com a participação do Pelé, em 1996; e a da fachada da antiga Unidade Carandiru, atual Parque Novo Mundo, que começou a funcionar em 1994, em São Paulo.

O resgate histórico foi feito por meio de registros das áreas técnicas, consultas a fotos e documentos diversos e relatos de antigos empregados. As mais de 200 edições da revista CNT Transporte Atual, lançada em 1995, também foram importantes fontes de consulta sobre o que era a pauta prioritária das instituições ao longo de mais de duas décadas.

A busca por fortes investimentos em infraestrutura, pela modernização das leis trabalhistas, pela melhoria da qualificação profissional e por mais segurança no setor são temas defendidos historicamente por todo o Sistema. “Sempre agimos na vanguarda do que é estratégico. Defendemos a multimodalidade, a renovação de frota, a melhoria da qualidade do diesel, o aumento da eficiência energética. Também lutamos contra assaltos, roubos de cargas, ataques a ônibus”, diz o presidente da CNT, do ITL e dos Conselhos Nacionais do SEST e do SENAT, Clésio Andrade.

Essa história é bem ampla e diversificada. Além dos estudos, das pesquisas e do investimento em qualificação profissional, o portfólio inclui seminários internacionais, a forte atuação institucional junto aos três Poderes, a participação em grandes debates nacionais. A CNT contribuiu, por exemplo, para a aprovação do CTB (Código de Trânsito Brasileiro); e participou de conferências internacionais pelo clima, como a Rio+20.

Clésio Andrade, presidente da Confederação nesses 25 anos e um dos idealizadores do SEST SENAT, avalia que o Sistema CNT conseguiu inserir o setor nos grandes debates nacionais, fortaleceu a representatividade nos diversos fóruns e promoveu um imprescindível apoio ao trabalhador e ao transportador.

Ele lembra que, no início da década de 1990, quando foi criado o SEST SENAT, os transportadores tinham “o sonho de oferecer ao trabalhador do transporte aquilo que ele merecia: mais qualidade de vida, saúde, desenvolvimento profissional, lazer, esporte e cultura”. Junto à criação dessa rede de atendimento em todo o país, foram intensificadas as ações da CNT para apoiar o desenvolvimento e representar o setor.

“Conhecer o cenário em que atuamos é primordial para identificar gargalos e propor soluções. Também acompanhamos a economia; analisamos os impactos das medidas de governo; atuamos junto aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário; e mostramos o que a sociedade está pensando em momentos diferentes”, explica.

Segundo Clésio Andrade, esse trabalho em defesa do transporte precisa continuar. “Estamos certos de que a estrada que colaboramos para construir até aqui será o caminho para o Brasil alcançar seu pleno desenvolvimento social e econômico. ”


voltar