+55 (11) 2632-1000
Escolha uma Página
Proposta de capacitação com foco em segurança é apresentado no Transcares
20/02/2019 – 16:01 / NTC&Logística

As ações de prevenção e combate ao roubo de cargas ganharam um reforço na quinta-feira, 14 de fevereiro, durante o Encontro Técnico de Segurança, realizado na sede do Transcares, em Cariacica: a proposta de um curso de capacitação para agentes públicos e profissionais do setor de transportes, com foco na segurança das operações de transporte de cargas. O treinamento está inserido no Proteger – Programa de Segurança de Operações do Transporte de Carga da CNT (Confederação Nacional do Transporte), e foi apresentado pelo seu coordenador, Getúlio Bezerra, que além de expor o projeto veio de Brasília para ouvir as opiniões dos capixabas a respeito do escopo pensado pela equipe técnica do Sest Senat.

O curso de capacitação é um sonho antigo do superintendente do Transcares, Mario Natali, que sempre defendeu o conhecimento e a informação como ferramentas imprescindíveis para vencer esse inimigo que somente no ano de 2017 resultou num prejuízo de R$ 1,574 bilhão em todo o País – valor correspondente somente à carga em si. E ele gostou do que foi apresentado por Bezerra.

“Ele atende bem às nossas expectativas e necessidades”, resumiu Natali, que junto com o coordenador do Grupo de Trabalho de Segurança do Setcemg (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de Minas Gerais), Ivanildo dos Santos, preparou uma proposta inicial e enviou à CNT, aos cuidados de Bezerra.

A grande novidade deste curso, segundo o coordenador do Proteger, é o fato dele ser à distância, mas com uma parte presencial, “para que motoristas, gestores das empresas de transportes e agentes públicos, o público-alvo, possam compartilhar e trocar experiências”.

A capacitação inclui informação sobre o modus operandi das quadrilhas, treinamentos com situações de risco nos simuladores adquiridos recentemente pelas unidades do Sest Senat, legislação, ações emergenciais, funcionamento, documentos do transporte e levantamento de dados estatísticos, uma deficiência do setor, como admitiu o dirigente. E ainda segundo ele, o treinamento já está aprovado pela diretoria da CNT e a expectativa é que até o segundo semestre ele possa ser implementado.

Técnico da Assessoria de Projetos Especiais do Sest Senat, Tomás Nascimento também participou do encontro de Vitória e apresentou o Projeto Transporte Seguro, que integra o Proteger e cujos objetivos são garantir a qualificação de motoristas profissionais; profissionais das empresas de transporte de cargas que atuam na operação do transporte e na gestão de riscos do negócio; e os agentes públicos que atuam na fiscalização e prevenção ao roubo de cargas; reduzir os índices de roubo de cargas no Brasil; reduzir a perda financeira das empresas com o roubo de cargas; aumentar a segurança na operação e fiscalização do transporte de cargas; e coibir o crime organizado.

“Uma empresa com menos roubo de cargas e uma empresa mais sustentável”, resumiu ele para os 28 participantes do evento – representantes das polícias militar, civil, rodoviária federal e federal, Abin, Codesa, o secretário de Integração Institucional da Sest, Guilherme Pacífico, um antigo parceiro do sindicato, o presidente do Transcares, Marcos Furtunato, e profissionais de empresas associadas.

Boas práticas

Outra pauta do Encontro Técnico do Segurança foi compartilhar as boas práticas de prevenção e combate ao roubo de cargas do Estado. O Espírito Santo vive uma situação diferenciada em relação aos demais estado da Região Sudeste, líder no ranking de ocorrências. Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública, em 2018 foram instaurados 42 inquéritos de roubo de cargas, 16 a menos do que em 2017. Em 2016, no Estado, foram constatados 109 roubos a cargas.

Segundo Natali, os bons números são resultado de duas vertentes. A primeira são as medicas locais: criação pelo governo do Estado, por meio da secretaria de Segurança (Sesp), de um Grupo de Trabalho de Prevenção e Combate ao Roubo de Cargas, Lei Estadual  8.246/2006, alterada para 1.638/2017 e pioneira no combate à receptação de cargas roubadas e/ou oriundas de estelionato; e a criação da Delegacia Especializada de Crimes contra o Transportes de Cargas.

A segunda são as ações de capacitação de integração, como as reuniões bimestrais do Grupo de Trabalho da Sesp, para estudos de casos, discussões e atualização das ocorrências no Estado; participação das forças policiais em eventos locais e regionais em outros segmentos para alinhamento de condutas e troca de informações; e a formulação da proposta de capacitação policial que ganhou o apoio da CNT. “Entendemos que sem cooperação vão vamos a lugar algum”, destacou ele, que voltou a falar sobre sua preocupação com a “migração natural dessa mancha criminal” e, portanto, da urgência na capacitação.

 


voltar