+55 (11) 2632-1000
Escolha uma Página
Petrobras anuncia alta de R$ 0,10 por litro no diesel

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, anunciou na última quarta-feira (17), uma alta de R$ 0,10 por litro do óleo diesel. Com a alta, o litro do diesel passou a custar R$ 2,2470 nas distribuidoras a partir de quinta-feira. O anúncio vem cinco dias depois da estatal voltar atrás no último aumento, por determinação do presidente Jair Bolsonaro.

O valor, segundo o executivo, representa uma variação mínima de 4,5% e máxima 5,1% nos pontos de venda da companhia. A variação média ficou em 4,84%.

O valor anunciado nesta quarta ficou R$ 0,0192 abaixo do que havia sido determinado na ocasião, e do qual a estatal desistiu.

Sobre a periodicidade dos ajustes, Castello Branco disse que eles serão flexibilizados “para quando achar importante ter”. Hoje eles são feitos com intervalo mínimo de 15 dias. O executivo afirmou que a Petrobras segue livre para determinar os preços dos combustíveis: “a palavra final é minha”, disse.

 

Segundo Castello Branco, a empresa não teve perdas com o adiamento do ajuste do preço do diesel – na quinta-feira passada (11), a companhia voltou atrás de um aumento no combustível após uma determinação do presidente Jair Bolsonaro. Para justificar a manutenção do preço, a estatal afirmou na ocasião que havia margem para postergar o aumento do diesel por “alguns dias”.

InterferênciaCastello Branco afirmou que o presidente não ordenou o cancelamento do reajuste na última semana. Segundo ele, Bolsonaro o telefonou para alertar sobre os riscos que representavam uma possível nova greve dos caminhoneiros.

Concorrência no mercadoCastello Branco defendeu a abertura do mercado de combustíveis do país: “O monopólio é incompatível com a sociedade livre. Não é bom para economia e nem para o monopolista. Queremos competição, quero a Petrobras mais forte e pronta para competir”, afirmou.

Mais cedo, o diretor financeiro da BR Distribuidora, controlada pela Petrobras, afirmou que a petroleira muito provavelmente reduzirá sua fatia na empresa de combustíveis para menos de 50%. Sobre o assunto, Castello Branco indicou que se trata de uma medida positiva. Segundo ele, “a venda mostrará que teremos mais mercado em competição. E não sofrerá interferências externas nas decisões. Confio muito no Bolsonaro e não sofri interferências”.

 


voltar