(11) 2632-1000
Escolha uma Página
29 de Julho de 2016 – 10h43 horas / Agência de Notícias CNI

A ociosidade na indústria brasileira deve bater novo recorde neste ano. "Em 2016, a utilização da capacidade instalada permanece baixa, inferior à observada em 2015", diz a Nota Econômica divulgada na última quinta-feira (28), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).


No ano passado, a utilização da capacidade instalada (UCI) foi de 66%, a mais baixa média anual registrada desde 2001, quando a CNI começou a pesquisar a UCI. Isso significa que 34%, ou mais de um terço, das máquinas, equipamentos e instalações da indústria ficaram parados.


E a situação está ainda pior neste ano. Em junho, a utilização média da capacidade instalada ficou em 64%, um ponto percentual abaixo do registrado no mesmo mês de 2015. Nos meses de janeiro e fevereiro, atingiu 62%, o nível mais baixo dos últimos 15 anos, indicando que 38% do parque industrial ficou parado nos dois primeiros meses de 2016.


Prejuízo para as empresas – A alta ociosidade do parque industrial prejudica as condições financeiras das empresas, porque a manutenção de máquinas e equipamentos, mesmo parados, tem custos fixos, que independem do número de bens produzidos.


A manutenção de estoques acima do planejado, observa a CNI, também compromete a saúde financeira das empresas e aumenta a necessidade de capital de giro. "Isso porque as empresas gastam com trabalho, insumos e matérias-primas no momento da produção e demoram mais tempo para obter o retorno financeiro com a venda dos produtos", explica o estudo.


voltar