(11) 2632-1000
Escolha uma Página

Quem somos

Missão

Promover e alavancar a rentabilidade das empresas do transporte rodoviário de cargas, desenvolvendo propostas operacionais e econômicas, oferecendo serviços de qualidade aos associados e interagindo com o poder público e privado para defender os direitos e atender as demandas do setor e da sociedade.

Visão

Ser reconhecido como uma entidade de referência sobre o setor de transporte rodoviário de cargas no Brasil e no mundo.

Valores
  • União – das empresas de transporte de carga e logística para a busca de objetivos comuns
  • Excelência – na gestão da entidade e constante melhoria dos serviços prestados às empresas do setor
  • Austeridade – ética e transparência em todos os atos da entidade
  • Parceria – construir, manter relações de respeito e confiança com os diversos públicos com os quais se relaciona
  • Responsabilidade Sócio-Ambiental – incentivo à redução do impacto ambiental da atividade de transporte e apoio à iniciativas de desenvolvimento social

Quem somos

Fundado em 1936, o SETCESP – Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região é fruto da união de empresários do TRC (transporte rodoviário de cargas) atuantes na rota entre São Paulo e Santos, que necessitavam de uma representação central na luta pelos direitos do setor.

Atualmente, o SETCESP é o maior sindicato patronal na América Latina, protagonista de uma história com grandes conquistas e credibilidade reconhecida por transportadores, órgãos governamentais e esferas políticas.

Sempre atualizado com as constantes demandas da categoria, o SETCESP disponibiliza uma infraestrutura completa e especializada para estimular e promover o desenvolvimento operacional e econômico do setor, princpalmente para as mais de 21.000 transportadoras que representa em 50 municípios da Grande Região Metropolitana de São Paulo.

Além disso, a entidade realiza, constantemente, estudos e eventos técnicos visando atualizar e orientar as empresas de transporte sobre questões operacionais, legislativas, tributárias, de segurança e gestão de negócios.

Bandeiras

O SETCESP trabalha constantemente para promover a melhoria operacional e econômica do transporte rodoviário de cargas na GRMSP – Grande Região Metropolitana de São Paulo. E, nos âmbitos estadual e nacional, atua em parceria com a FETCESP e NTC&Logística, na defesa das seguintes bandeiras:

Diretorias municipais especializadas em cargas

Cada município da GRMSP deve ter uma Diretoria Especializada em Carga e Logística composta por técnicos, os quais devem se reunir constantemente para padronizar as regulamentações para veículos comerciais de carga em toda a região.

Comitês multissetoriais

Criação que um comitê multissetorial que envolva transportadores, varejo, universidade e poder público para desenvolvimento de metodologias que promovam o aumento da produtividade no recebimento de mercadorias, tendo em vista critérios que reduzam os impactos na mobilidade urbana da GRMSP.

Padronização e incentivo ao uso do VUC - Veículo Urbano de Cargas

Padronização do tamanho do VUC em 7,20m, entreparachoques, e sua liberação de todas as restrições de circulação de veículos de carga na GRMSP, incluindo rodízio.

Disponibilidade de vagas para carga e descarga

Atualizar a regulamentação e a sinalização dos locais destinados à realização do abastecimento de áreas de intenso comércio; adequar as vagas existentes, ampliar a disponibilidade de vagas e incluir regras para Carga e Descarga de Veículos em Operação utilizando controle com tecnologia georreferenciada.

Entregas Noturnas

Realizar entregas em horários alternativos e durante a noite em grandes pólos geradores de carga como estabelecimentos com área superior a 5.000m 2 nas áreas urbanas centrais (incluindo o mini anel viário) e 10.000m 2 nas demais áreas.

Terminais e mini-terminais de abastecimento urbano

Criação de mini terminas logísticos no entorno da GRMSP que tenham fácil interligação entre si para que sejam abastecidos com carretas durante a noite e, durante o dia, o VUC possa fazer a distribuição urbana local da carga

Implementação de corredores logísticos para carga de passagem

Conclusão das obras do Rodoanel para reduzir os gargalos existentes na malha logística nacional, facilitando o escoamento da produção através da GRMSP. Liberação da via expressa da Marginal Tietê para tráfego de veículos comerciais de carga, em tempo integral, até o escoamento ser possibilitado por outras rodovias que liguem o Norte ao Oeste de São Paulo e a conclusão do Rodoanel.

Multimodalidade com políticas de zoneamento

Para fomentar as operações multimodais e tirar o excesso de demanda das rodovias, apoiamos o incentivo para criação de terminais multimodais nos entroncamentos entre rodovias e ferrovias, no entorno da GRMSP, com ligações diretas para portos e aeroportos.

Oposição aos pedágios

Criação de políticas que reduza a excessiva quantidade de pedágios nas rodovias e os altos valores praticados pelas concessionárias, os quais oneram demasiadamente os custos de toda a cadeia produtiva do estado de São Paulo, impactando também o consumidor final.

Redução da carga tributária

Redução dos altos encargos tributários incidentes sobre o transporte rodoviário de cargas de forma a permitir que as empresas do setor invistam no crescimento de seus negócios e gerem mais postos de trabalho.

Combate ao roubo de cargas

Aumento da segurança pública nos centros urbanos e rodovias para garantir a integridade dos profissionais do setor, do patrimônio das empresas de transporte rodoviário de cargas e de toda a sociedade.

Cumprimento da Lei do Motorista

A Lei 13.103/15 regulamenta a profissão de motorista e cria regras claras para melhorar as condições de trabalho e segurança nas rodovias nacionais, por isso deve ser cumprida em sua totalidade por transportadores e embarcadores.

Automatização das demandas do TRC

Uso de novas tecnologias aplicadas ao TRC e a integração destas com as empresas de transporte é essencial para que novos produtos sejam desenvolvidos de forma eficiente ao atender as necessidades do setor. A desregulamentação para entregas de produtos perecíveis através destas tecnologias é fundamental, servindo também para controlar os fluxos de passagem pela GRMSP.

Programas de educação e conscientização de boas práticas no transporte

Para melhorar constantemente o transporte urbano de cargas, o SETCESP defende que sejam realizados programas de educação e conscientização sobre a importância do TRC para o abastecimento das cidades.

"Transportadora associada ao SETCESP é mais rentável"

Tayguara Helou

Diretoria

2019 – 2021

Tayguara Helou
Presidente
Hélio José Rosolen
Vice-Presidente
Roberto Mira
Vice-Presidente
Antonio Luiz Leite
Vice-Presidente
Roberto Mira Junior
Vice-Presidente
Marcelo Rodrigues
Vice-Presidente
Adriano Lima Depentor
Vice-Presidente Extraordinário de Governança
Marinaldo Barbosa dos Reis
Secretário Geral
Luís Felipe Machado
Suplente do secretário geral
Luís Alexandre Duarte
Suplente do secretário geral
Altamir Filadelfi Cabral
Tesoureiro
Barbara Pereira Calderani
Suplente do Tesoureiro
Celso Rodrigues Salgueiro Filho
Suplente do Tesoureiro
Thiago Menegon
Conselho Fiscal
José Maria Gomes
Conselho Fiscal
Antonio Tibúrcio de Santana Neto
Conselho Fiscal
Armando Masao Abe
Suplente do Conselho Fiscal
Paulo Estevam Scremim
Suplente do Conselho Fiscal
Celso Masson
Suplente do Conselho Fiscal
Tayguara Helou
Delegado Representante
Manoel Sousa Lima Junior
Suplente do Delegado Representante
Aristóteles de Carvalho Rocha
Conselho Superior
Romeu Natal Panzan
Conselho Superior
Rui César Alves
Conselho Superior
Urubatan Helou
Conselho Superior
Francisco Pelucio
Conselho Superior

Diretoria de Especialidades

Participe das reuniões do seu segmento de atuação e participe da construção de um TRC mais eficiente.
Clique aqui e confira a agenda.

Abastecimento e Distribuição

Marinaldo Barbosa dos Reis

Cargas Completas

Marco Antonio Soares

Máquinas e Equipamentos

Celso Masson

Recursos Humanos

Ducimara Salathiel

Aduaneiro

Paulo Scremim

COMJOVEM

Antonio Tiburcio de Santana Neto

Meio Ambiente e Transp. de Prod. Perigosos

Thiago Budni

Seguros

Marcelo Rodrigues

Bebidas / Cetran

Ramon Garcia de Alcaraz

Farmacêuticos

Gylson Ribeiro da Silva

Mudanças

Everton Granero

Tecnologia da Informação

Anírio Neto

Ex-presidentes

Confira abaixo nossa galeria de ex-presidentes, que nos honraram com sua presença e fizeram parte de nossa história.

  • 2013 – 2015

    Manoel Sousa Lima Junior

    Um TRC mais produtivo, rentável e atuante nas soluções para a sociedade em relação à mobilidade e ao abastecimento urbano esteve em destaque na gestão de Manoel Sousa Lima Junior.
    Nesse período, aprovou-se a Lei que cassa a Inscrição Estadual do estabelecimento que comercializa carga roubada, iniciou-se a desoneração da folha de pagamento de salários e inaugurou-se o DTC – Divisão de Transporte de Carga.

    Outro ponto de destaque foi sua visão de líder-estrategista que compôs toda a sua diretoria executiva com jovens empresários oriundos da COMJOVEM com o objetivo de renovar o comando do SETCESP, servindo de exemplo para outras entidades da categoria.

  • 2007 – 2012

    Francisco Pelucio

    As questões de mobilidade urbana, acesso ao crédito e fomento do crescimento das transportadoras estiveram em destaque durante os seis anos da presidência de Francisco Pelucio que criou a TV SETCESP e a cooperativa de crédito SICREDI-Fetcoop.

    Nesse período, o SETCESP lutou contra as restrições à circulação de caminhões em São Paulo e conquistou vitórias importantes, como a construção das Alças de acesso ao Terminal Fernão Dias.

  • 2004 – 2006

    Urubatan Helou

    A gestão de Urubatan ficou marcada pelas comemorações dos 70 anos do SETCESP, que levaram o nome da entidade ao grande público e, também, pela luta do Sindicato pelas conquistas de bandeiras importantes como a redução da burocracia nas barreiras fiscais estaduais, a valorização do transporte de cargas e a redução da carga tributária do setor.
    Urubatan reativou a COMJOVEM – Comissão de Jovens Empresários e Executivos do Transporte em sua gestão, trabalhou fortemente a comunicação da entidade e levou o SETCESP às suas bases com o SETCESP Itinerante.

  • 2001 – 2003

    Rui César Alves

    O presidente Rui César Alves deixou em sua gestão a marca da valorização da cultura e da memória do setor, com a criação, em conjunto com a NTC, da Biblioteca Setorial, que reúne obras de referência para os transportes, além de periódicos e exemplares raros, que contam a história do TRC.

    Modernizou os meios de comunicação com os associados com a criação da Revista SETCESP Notícias e a passagem do informativo diário do Sindicato para a era da internet, além de viabilizar a compra dos 50% pertencentes à NTC do espaço Adalberto Panzan, para o setor de treinamento do SETCESP. Na sua gestão, houve grande avanço no relacionamento político da entidade, especialmente no campo das relações com os sindicatos profissionais.

  • 1992 – 2000

    Romeu Natal Panzan

    Durante três gestões, o presidente Romeu Natal Panzan dirigiu o SETCESP rumo ao século XXI. Atuou de forma exuberante no combate ao roubo de cargas, realizou eventos de grande importância para o setor, promoveu viagens técnicas, como a realizada para os países asiáticos, e enfrentou os desmandos da administração municipal, que castigava o setor com suas políticas restritivas à circulação de caminhões, como a criação do rodízio veicular, inicialmente estadual, e as Zonas de Máxima Restrição à Circulação.

    Foi na gestão de Romeu Panzan que o SETCESP primou pela qualidade na prestação de serviços e certificou-se com a ISO 9002, feito pioneiro entre as entidades de classe do setor.
    Inovou, ainda, com o lançamento do informativo diário da entidade e colocou o SETCESP na elite da comunicação empresarial brasileira.
    Foi também em sua gestão que o SETCESP conseguiu a quitação definitiva do seu prédio-sede.

  • 1988 – 1991

    Adalberto Panzan

    O presidente Adalberto Panzan foi o grande incentivador da área de treinamento do SETCESP, criada em meados da década de 1980, mas que carecia de melhorias e expansão. Foi em sua gestão que o serviço foi ampliado, figurando como o mais atuante centro de desenvolvimento profissional entre as entidades de classe patronais do setor. Hoje, o SETCESP orgulha-se de seu Núcleo Educacional, que foi batizado com o nome do presidente Adalberto Panzan.
    Outro grande acontecimento da gestão de Adalberto foi o surgimento dos primeiros esforços para a criação da Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo (hoje FETCESP), missão para a qual licenciou-se para dedicar-se ao máximo, passando a presidência do Sindicato para Romeu Natal Panzan.

  • 1980 – 1987

    Sebastião Ubson Carneiro Ribeiro

    Dentre as lutas enfrentadas em sua gestão estavam o combate à supremacia do capital estrangeiro no setor, luta comandada bravamente por Sebastião Ubson, culminando na Lei 6.813 que restringiu a participação estrangeira nas empresas e a necessidade da regulamentação da atividade, que ainda sofria com improvisações.
    O resultado desta luta veio pela Lei 7.092 e Decreto 89.874, que infelizmente foi revogado no governo Collor, mas que não tirou o brilho da conquista, pois está servindo, hoje, de modelo nas discussões sobre o assunto.
    Porém, o maior feito do presidente “Bastião” foi o legado do imponente edifício-sede da entidade, que merecidamente leva o seu nome. Em sua gestão, não mediu esforços para angariar o apoio dos transportadores para que o sonho da construção do edifício se tornasse realidade.
    Em 1987, Sebastião Ubson Carneiro Ribeiro licenciou-se da presidência do SETCESP para assumir a presidência da NTC, deixando seu cargo para Adalberto Panzan.

  • 1970 – 1979

    Aristóteles de Carvalho Rocha

    Carinhosamente conhecido em todo o setor como “Rochinha”, assumiu o sindicato em uma fase um tanto conturbada do ponto de vista tarifário, cabendo a ele, ao lado de Orlando Monteiro, realizar uma verdadeira cruzada tarifária pelo Brasil.

    O inimigo do setor, nessa época, era a invasão das empresas de capital estrangeiro, que realizavam suas operações com práticas de dumping generalizadas. O setor uniu-se, então, em torno do objetivo de combater esta invasão. O trabalho de Aristóteles Rocha à frente do SETCESP é reconhecido historicamente como a era do surgimento das principais lideranças empresariais, em atividade até os dias de hoje.

    O TRC era o responsável pela circulação de mais de 80% de todas as riquezas brasileiras e já respondia pela geração de mais de três milhões de empregos, sendo responsável pelo sustento de mais de 12 milhões de brasileiros. Rochinha soube atrair para a entidade os mais atuantes e mais importantes empresários do setor e, em sua gestão, o SETCESP criou serviços para os associados, como, por exemplo, a Consultoria Jurídica.

  • 1967 – 1970

    Herlock Teixeira Junior

    O setor continuava crescendo, mesmo sem qualquer planejamento ou previsão. Os funcionários empregados pelo transporte rodoviário de cargas já se contavam aos milhões e o salto da indústria automobilística nacional dava aos empresários do setor as opções necessárias para a formação das frotas.

    Herlock deixou uma saudosa lembrança, por ter sido o pai de Roberto Teixeira Netto, grande dirigente sindical.

  • 1965 – 1967

    José Carneiro de Gusmão Lacerda

    De acordo com registros da época, cerca de um milhão de pessoas dedicavam-se a alguma atividade ligada ao transporte rodoviário de cargas no Brasil em 1965. Esse fabuloso crescimento do setor enchia de boas novas a gestão de José Carneiro de Gusmão Lacerda.

    Nas mãos dos militares, o país via grandes esforços na construção de infraestrutura para os transportes, ponto considerado estratégico pelas Forças Armadas. Todavia, o avanço acelerado do setor causou o surgimento de problemas como o início de uma predatória e desleal concorrência, que persiste até os dias de hoje.

  • 1961 – 1965

    Telêmaco Azevedo Silva

    A principal característica da gestão foi a atuação junto ao poder Legislativo do país para promover a criação de leis e regras que pudessem efetivamente regulamentar e disciplinar a atividade de transporte rodoviário de cargas, então carente de organização na época.

    O setor já possuía mais de três mil empresas de transporte em todo o Brasil e a regulamentação se fazia urgente. Foi nessa época que surgiu da Associação Nacional das Empresas de Transporte de Cargas (NTC), que teve o total apoio do SETCESP e de seu presidente.

    Antes do fim da gestão de Telêmaco, o Brasil mergulhou nos anos da exceção, com o Golpe Militar em 1964.

  • 1960 – 1961

    José Morgado

    Apesar de curta, a gestão de José Morgado foi de grande importância para o SETCESP. Foi nessa época que a entidade começou a mostrar seus primeiros traços de crescimento efetivo e maior representatividade do setor.

    As bandeiras também se modificavam com o passar do tempo e, nessa época, a burocracia e as crises políticas nacionais eram os principais inimigos dos transportadores.

  • 1952 – 1960

    Fortunato Peres Júnior

    Eleito no início da década de 1950, Fortunato Peres Júnior foi o presidente da retomada do crescimento da entidade. Sua gestão foi beneficiada pelo contexto histórico pelo qual o Brasil passava.

    Terminada a Segunda Grande Guerra, o mundo voltava devagar ao seu eixo e a economia brasileira, impulsionada pelos ventos desenvolvimentistas do presidente Juscelino Kubitscheck, iniciava seu processo de industrialização.

    O embrião da indústria automobilística brasileira instalava-se no coração do país e a capital, que ainda era no Rio de Janeiro, iniciava sua transição para a moderna e inacreditável Brasília.

  • 1942 – 1952

    Carlos Humberto Caseiro

    A longa e duradoura gestão de Carlos Humberto Caseiro foi inicialmente marcada pela primeira ação de comunicação impressa da história do SETCESP.

    Ao assumir, em 1942, o presidente viu a necessidade de divulgar os feitos e as bandeiras da entidade e, em março de 1943, firmou parceria com o periódico “O Volante” para obter um espaço e viabilizar tal divulgação.

    Caseiro foi o presidente dos tempos de guerra, época lembrada com pesar pelos contemporâneos e marcada pelas grandes crises em todo o mundo. O combustível era
    racionado (os transportadores eram obrigados a adaptar seus veículos ao gasogênio – grelha de carvão vegetal aceso ligada a dois cilindros), as comunicações eram complicadas, os caminhões sofriam a restrição de somente poder realizar viagens de até 150 quilômetros. Mas foi em meio a estes tempos difíceis que o SETCESP conseguiu unir seus associados em torno dos objetivos comuns. A guerra contra os desmandos da ferrovia também esteve presente na gestão do presidente Carlos Humberto Caseiro. Luta esta vencida pelos transportadores que conseguiram acabar com os privilégios do transporte ferroviário.

  • 1940 – 1942

    Américo Ramos

    Pego de surpresa pela renúncia do presidente Manoel Diegues, o então vice-presidente Américo Ramos assumiu o comando do SETCESP em setembro de 1940.

    Logo de início enfrentou dificuldades para formar sua diretoria e teve que lidar com a desistência de alguns associados, até mesmo Diegues.

    Um de seus cuidados foi mudar o Sindicato para uma sede maior, mais ampla e mais adequada ao crescimento da entidade, que passou a ocupar duas salas em um prédio comercial na Rua Senador Feijó, no centro de São Paulo.

    Ramos também renunciou ao cargo de presidente do SETCESP alegando estar de mudança para Santos e deixou a cadeira em 4 de julho de 1942. Provisoriamente, por um período de cinco meses, o associado Abel Bocco assumiu a presidência da casa.

     

  • 1936 – 1940

    Manoel Diegues

    Integrante do grupo de cinco empresários que se articularam e começaram a organizar o sindicato em meados dos anos 30, foi o primeiro presidente do SETCESP.

    Em sua gestão, enfrentou dificuldades de todo tipo, desde o convencimento dos empresários do setor sobre a necessidade de fazerem parte do Sindicato para unir as forças, os percalços da falta de uma sede própria até a inadimplência dos associados fundadores.

    Entre as bandeiras defendidas pela gestão de Diegues estão o combate aos privilégios do transporte ferroviário e às barreiras da fiscalização, que detinham os caminhões por horas devido à burocracia.

    Diegues presidiu o SETCESP até renunciar, sem motivos aparentes, em setembro de 1940.

SETCESP, o maior sindicato patronal na América Latina, atualizando e orientando empresas de transporte há mais de 80 anos.

Unidades

 

SETCESP

Rua Orlando Monteiro, 21
6º andar
Vila Maria
São Paulo/SP
CEP 02121.021

(11) 2632.1000

setcesp@setcesp.org.br

 

CAS JUNDIAÍ

Rua Hilda Del Nero Bisquolo, 102
Sala 1615
Jardim Flórida
Jundiaí/SP
CEP 13208-703

(11) 4521.7028

jundiai@setcesp.org.br

Base territorial

Confira abaixo as cidades que fazem parte de nossa Base Territorial.

Arujá

Atibaia

Barueri

Biritiba-mirim

Bom Jesus dos Perdões

Bragança Paulista

Caieiras

Cajamar

Campo Limpo Paulista

Carapicuíba

Cotia

Embu

Embu-Guaçu

Ferraz de Vasconcelos

Francisco Morato

Francisco Morato

Franco da Rocha

Guararema

Guarulhos

Itapecerica de Serra

Itapevi

Itaquaquecetuba

Itatiba

Itupeva

Jandira

Janiru

Joanópolis

Jundiaí

Juquitiba

Louveira

Mairiporã

Mogi das cruzes

Morungaba

Nazaré Paulista

Osasco

Pedra Bela

Pinhalzinho

Piracaia

Pirapora do Bom Jesus

Poá

Salesópolis

Santa Isabel

Santana de Parnaíba

São Lourenço da Serra

São Paulo

Taboão da Serra

Tuiuti

Vargem

Vargem Grande Paulista

Várzea Paulista

  • Arujá
  • Atibaia
  • Barueri
  • Biritiba-mirim
  • Bom Jesus dos Perdões
  • Bragança Paulista
  • Caieiras
  • Cajamar
  • Campo Limpo Paulista
  • Carapicuíba
  • Cotia
  • Embu
  • Embu-Guaçu
  • Ferraz de Vasconcelos
  • Francisco Morato
  • Franco da Rocha
  • Guararema
  • Guarulhos
  • Itapecerica da Serra
  • Itapevi
  • Itaquaquecetuba
  • Itatiba
  • Itupeva
  • Jandira
  • Jarinu
  • Joanópolis
  • Jundiaí
  • Juquitiba
  • Louveira
  • Mairiporã
  • Mogi das Cruzes
  • Morungaba
  • Nazaré Paulista
  • Osasco
  • Pedra Bela
  • Pinhalzinho
  • Piracaia
  • Pirapora do Bom Jesus
  • Poá
  • Salesópolis
  • Santa Isabel
  • Santana de Parnaíba
  • São Lourenço da Serra
  • São Paulo
  • Suzano
  • Taboão da Serra
  • Tuiuti
  • Vargem
  • Vargem Grande Paulista
  • Várzea Paulista