+55 (11) 2632-1000
Escolha uma Página
22 de Junho de 2016 – 04h01 horas / ARTESP

Nesta época do ano, até o mês de agosto, aumenta muito a incidência de neblina em várias regiões do Estado de São Paulo. Cresce, então, o risco de acidentes nas rodovias. Para reduzir a possibilidade de acidentes, a ARTESP (Agência de Transporte do Estado de são Paulo) e as concessionárias que administram os 6,4 mil quilômetros de rodovias sob concessão adotam uma série de medidas operacionais com o objetivo de reduzir os riscos. A menor visibilidade causada pela neblina aumenta a probabilidade de colisões traseiras, choques com obstáculos fora da pista (como muretas de proteção, postes de sinalização, etc). Podem ocorrer, inclusive, engarrafamentos já que o motorista só percebe o acidente à frente quando está muito próximo.

 

O trabalho operacional preventivo para tornar as viagens mais seguras é realizado pela ARTESP em conjunto com a Polícia Militar Rodoviária e as concessionárias. Entre as principais ações das concessionárias estão a revitalização das sinalizações vertical (placas e painéis informativos) e horizontal (pintura de solo), veiculação de mensagens alertando os motoristas nos painéis de mensagens eletrônicos distribuídos pelas rodovias, sinalização com uso de viaturas, campanhas educativas, informativos através de sites, redes sociais e serviço 0800 e até suspensão de obras quando houver situações críticas. Na malha concedida no Estado de São Paulo a sinalização reforça a necessidade de reduzir a velocidade e cumprir a legislação que determina que o farol baixo seja aceso, além de haver dispositivos refletivos para orientação do motorista. Mas, o condutor do veículo também deve tomar medidas para reduzir os riscos, como estar atentos à sinalização e reduzir a velocidade ao perceber que a visibilidade está prejudicada.

 

No Sistema Anchieta-Imigrantes, onde a ocorrência desse fenômeno é mais frequente, a concessionária Ecovias e a Polícia Militar Rodoviária realizam a Operação Comboio, ação na qual os carros que seguem sentido litoral são represados nas praças de pedágio (km 31 da Anchieta e km 32 da Imigrantes) sempre que a visibilidade dos motoristas fica abaixo de 100 metros. Os veículos saem escoltados por viaturas da Polícia Rodoviária e da concessionária a uma velocidade máxima de 40 km/h como medida de segurança.

 

Pontos críticos

 

Trechos de serra e baixadas (vales) estão mais sujeitos à ocorrência de neblina. Os períodos de maior incidência são o começo da manhã e a madrugada. A ARTESP e as concessionárias listaram os pontos onde é mais comum haver neblina nesta época do ano nas rodovias sob concessão. Porém o motorista deve estar atento em todas as viagens, uma vez que o fenômeno também é observado em outros trechos rodoviários.

 

Clique aqui e veja os 294 pontos onde a ocorrência de neblina é frequente na malha estadual concedida.


voltar