+55 (11) 2632-1000
Escolha uma Página
08 de Março de 2017 – 04h20 horas / CNT

Políticas permanentes de treinamento e desenvolvimento de colaboradores são consideradas cada vez mais importantes para o sucesso das organizações. Afinal, as pessoas, seus conhecimentos e a forma como os aplicam na atividade que desempenham são essenciais para que as empresas sejam mais competitivas e melhorem seus resultados.

 

Na VLI, empresa de logística integrada (conectando ferrovias, portos e terminais), esse tema é levado muito a sério. Tanto que foi o diferencial que colocou a empresa entre as 150 melhores para se trabalhar no Brasil, segundo o Guia Você S/A em 2015 e 2016. No setor de logística, ela está entre as quatro melhores.

 

Em entrevista à Agência CNT de Notícias, o gerente geral de Recursos Humanos da VLI, Ederson Almeida, falou sobre as ações implementadas pela organização que a colocaram em destaque.

 

Quais são as políticas implementadas pela VLI que deram a ela o título de uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil?

 

O ano de 2016 foi o segundo em que a VLI entrou como uma das melhores para se trabalhar no Brasil e é um conjunto de fatores que traz esse mérito. Gostaria de destacar a capacitação dos funcionários, que é um grande diferencial. A gente tem um centro de especialização e desenvolvimento no qual já fizemos quase 5.200 treinamentos desde que a VLI foi fundada. A gente também tem uma unidade móvel de treinamento, carreta que percorre todo o Brasil fazendo capacitação especializada para operações em todo o país. Como a VLI é uma empresa muito capilarizada, essa é uma alternativa que encontramos e que deu certo. Essa carreta percorre todo o país e conseguimos trazer treinamento de ponta para os funcionários.

 

A logística integrada é uma área de atuação que ainda carece de profissionais especializados? Qual a importância da educação corporativa nesse caso?

 

O nosso setor é muito específico. Dificilmente conseguimos em universidade e escolas técnicas o conhecimento que precisamos para aplicar no trabalho. Assim, a gente precisa desenvolver internamente. É assim que desenvolvemos muitas habilidades. Temos estruturas internas para capacitar as pessoas na porta de entrada: trainees operacionais, jovens aprendizes, estagiários e trainees de nível superior que são preparados para o trabalho já quando entram na companhia. Também temos um sistema de carreiras e sucessão, em que avaliamos todas as pessoas, identificamos as oportunidades de crescimento e, dentro dessas oportunidades, direcionamos o desenvolvimento. Isso é feito para todos os níveis. Dessa forma, conseguimos fazer uma filtragem de cada competência e montamos as turmas em cima desses pontos.

 

A VLI possui uma universidade corporativa?

 

Esse é um projeto que temos. Ainda não é uma realidade, mas está em desenvolvimento. Queremos colocar em prática ainda neste ano. A questão é a maturidade. Nós já desenvolvemos a escola de lideranças, a escola corporativa e acreditamos que estamos preparados para uma universidade.

 

Qual o efeito disso sobre a satisfação do profissional com o trabalho e sobre sua motivação?

 

O encarreiramento é um grande diferencial da VLI. Posso citar meu exemplo: eu estou na companhia há 18 anos. Entrei como estagiário e fui sendo promovido pelo meu mérito e pelas oportunidades que a VLI proporcionou. Isso é uma coisa incrível, que é a possibilidade de ser protagonista da sua carreira. A pessoa, de fato, é responsável pela sua trajetória, mas a companhia proporciona as oportunidades. Quem quer crescer, aqui é o lugar. E isso é reconhecido. Para se ter uma ideia, nas nossas portas de entrada de talentos, tivemos mais de 43 mil inscritos no ano passado. É um número extremamente alto e se deve ao fato de as pessoas conhecerem sobre as oportunidades que existem aqui. O coroamento de tudo é a pesquisa de engajamento [que mensura o nível de satisfação dos colaboradores com o ambiente organizacional e o comprometimento com os resultados]: temos engajamento de 87%. Esse número coloca a VLI sete pontos acima do mercado brasileiro e três pontos acima das empresas de alta performance, que são aquelas que se destacam no mercado. Isso nos mostra que as ações que conduzimos de engajamento, de encarreiramento, de respeito às pessoas são reconhecidas pelos colaboradores e pelo público externo.

 

O que a companhia busca nos novos profissionais?

 

Temos uma visão muito clara: transformar a logística do Brasil. Para isso precisamos de pessoas que têm esse espírito, vontade de transformar, de fazer diferente e de trabalhar. E a gente também busca pessoas alinhadas com os nossos valores e com a nossa cultura.


voltar