+55 (11) 2632-1000
Escolha uma Página
Transportador 4.0
Data – hora / Fonte

Como investir em tecnologia no transporte rodoviário de cargas visando rentabilidade e ganho de qualidade nas operações de distribuição e logística com foco em informação

 

É fato que estamos em uma era cada vez mais digital e tecnológica. Estamos conectados 24 horas por dia e praticamente tudo o que nos cerca tem algum tipo de tecnologia, mas será que o transporte rodoviário de cargas está nesse mesmo “time”?

Sim, o transporte de mercadorias via modal rodoviário já mudou e as empresas que não enxergaram isso e não estão investindo em tecnologia, estão fadadas ao sucateamento e ao insucesso. E não estou falando aqui, somente de entregas por drones que no Brasil ainda é algo muito restrito, uma vez que a ANAC não permite o vôo de aviões não tripulados em áreas populadas, ou seja, a menos que a legislação evolua, não veremos tão cedo um drone entrando no hall do nosso prédio com a nossa entrega.

As empresas de transportes rodoviários de cargas que desejam despontar e se tornarem rentáveis e com operações sustentáveis precisam, via de regra, se tornarem empresas de tecnologia. A simples logística, movimentação e distribuição de cargas não é mais nosso core business, principalmente porque hoje operamos em um mercado com vasta intervenção governamental tanto em legislação e regramento, quanto em tabelamento de piso mínimo de frete. Qual a solução então?

Usar a tecnologia a nosso favor e vender nossa inteligência e expertise para solucionar as urgências e dificuldade de nossos clientes em colocar seu produto nas mãos do cliente final. Praticamente vender consultoria em transporte rodoviário de cargas.

E que tipo de tecnologia podemos utilizar? Posso afirmar que todos os nossos investimentos em tecnologia realizados em nossa empresa até hoje foram recuperados, em média, em 120 dias, trazendo novas receitas para empresa e principalmente elevando o nível de qualidade de nossas operações.

O interessante em se investir em tecnologia nos dias atuais é que esses projetos estão cada vez mais acessíveis, podendo ser realizados tranquilamente por empresas de pequeno, médio e grande porte. Nosso primeiro grande investimento em tecnologia foi a aquisição e implantação da máquina de cubagem, um investimento que demandou projetos de elétrica, integração de sistemas, adaptações físicas na matriz e que exigiu um desencaixe financeiro na casa de 6 dígitos, entretanto todo esse montante financeiro foi recuperado em 4 meses de operação aferindo 100% das cargas que transitaram na matriz. Após o retorno do investimento conseguimos um incremento de receita de 15% no nosso faturamento mensal, ou seja, ganhamos receita, recuperamos o investimento e tivemos um ganho significativo na qualidade da nossa operação.

E existem outras tantas ferramentas de tecnologia que tem melhorado significativamente o dia a dia das empresas, basta analisar e optar pela que mais se ajusta ao seu negócio e que pode lhe oferecer os melhores retornos.

O mercado mudou, estamos na era do Cliente 4.0, sua empresa está preparada para atender esse novo consumidor dos seus serviços? Está na hora de nos reinventarmos e criar o Transportador 4.0 onde a prioridade é a informação e esse caminho se dará não mais nas rodas movidas a diesel e sim com engajamento onde o combustível será a informação.

 

*Barbara Calderani é psicóloga, administradora, PhD em Gestão de Negócios. Diretora da COMJOVEM SP de 2016 a 2018, Diretora do Setcesp e Diretora da Rodomaxlog Armazenagem e Logística. Atuando no ramo do transporte rodoviário desde 1999.

 

 


voltar