+55 (11) 2632-1000
Escolha uma Página
08 de Maio de 2014 – 11h53 horas / Globo Rural

O ministro da Agricultura, Neri Geller, disse nesta terça-feira que a previsão para a safra de milho 2013/2014 é de 78 milhões de toneladas. O volume será 3 toneladas menor que o do ciclo anterior. "No ano passado, entre a primeira e segunda safra, colhemos 81,505 milhões de toneladas. Este ano estamos com uma previsão de uma quebra de 3 a 3,5 milhões de toneladas. A safra vai dar 78 milhões", disse. O ministro justificou a redução como resultado de dificuldades climáticas enfrentadas nas regiões Sul e Centro-Oeste.


Ele também falou que a redução do volume de águas na Hidrovia Tietê-Paraná não deve representar problemas para o escoamento da safra de grãos neste ano. "O nível de água da hidrovia não é tão grave para o escoamento', disse. "Acho que está voltando ao normal", completou. O ministro dos Transportes, César Borges, ratificou o posicionamento de Geller, mas ressaltou que "houve um problema climático que reduziu o volume de água do Rio Tietê". Borges disse também que é por isso que "temos de ter diversos modais" para escoamento da produção agrícola.


O trecho mais crítico da hidrovia está entre os reservatórios de Três Irmãos e Nova Avanhandava, que estão com 32% e 31% da capacidade. No feriadão, dois comboios da Louis Dreyfus Commodities (LCD), com 8 mil toneladas de soja, ficaram encalhados e outros cinco, de outras operadoras, com mais de 20 mil toneladas de soja, tiveram de esperar até dois dias.


Se a usina de Três Irmãos continuar a consumir água para geração de energia no mesmo ritmo da semana passada, o nível de água no Rio Tietê será insuficiente para a navegação das embarcações no trecho da hidrovia na usina de Nova Avanhandava, em Buritama (SP), informou o Departamento Hidroviário (DH) paulista.


Borges também disse que o planejamento logístico em execução pelo governo, com foco na diversificação dos modais de escoamento da produção brasileira de grãos por meio de ferrovias, estradas e hidrovias, deve reduzir nos próximos anos o papel do Porto de Santos. "Estamos tirando de Santos a obrigação de ser o principal porto de exportação de soja do País", disse.


Frete mais barato


O agendamento de caminhões com destino ao Porto de Santos para entrega de grãos neste ano representou uma redução de 10% no custo final do frete. A diminuição foi apresentada nesta terça-feira, 6, pelo ministro dos Transportes, César Borges, durante apresentação de balanço sobre o escoamento da safra 2013/14 no porto paulista. Ele informou que 96% dos veículos com destino ao porto agendaram o dia da entrega.


O Porto de Santos, de janeiro a março, registrou o embarque de 3,4 milhões de toneladas de soja, aumento de 56,6% sobre as 2,17 milhões de toneladas no primeiro trimestre de 2013. "O sucesso do escoamento se deu mais pelo agendamento do que por outras questões", disse.


voltar