+55 (11) 2632-1000
Escolha uma Página
25 de Abril de 2017 – 05h21 horas / Jornal das Montanhas

A violência no Rio de Janeiro e o crescimento no número de roubos de cargas tem aumentado os custos das empresas de transporte com segurança e encarecido o preço da mercadoria para o consumidor final.


É o que afirma o diretor de Segurança do SindiCarga, Sindicato das Empresas do Transporte Rodoviário de Carga do Rio de Janeiro. O coronel Venâncio de Moura relata que as companhias de seguro têm se negado até a renovar contratos por conta dos prejuízos. Segundo ele, desde 2014 o número de roubos tem aumentado. 


Nesta segunda-feira (24), apenas a Souza Cruz sofreu duas tentativas de assalto.


Em Santíssimo, na Zona Oeste, vigilantes que faziam a escolta da carga de cigarros reagiram e trocaram tiros com oito criminosos.


Segundo o Batalhão Militar de Campo Grande, um bandido foi morto e um vigilante ferido. Durante o confronto, um ônibus da linha 786, que faz o trajeto Campo Grande – Marechal Hermes foi atingido por vários disparos.


Segundo a Rioônibus, sindicato que representa as empresas de transporte coletivo na capital, não houve feridos e o veículo foi recolhido para a garagem. Mais cedo, na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio, outra tentativa de roubo de carga também deixou um vigia baleado.


Em ambos os episódios, segundo a Souza Cruz, os bandidos não conseguiram levar a mercadoria.


Em nota companhia afirmou que esse tipo de crime teve um crescimento de 37% na comparação com 2015. No total, foram quase 10 mil ocorrências no ano passado.


voltar